domingo, 3 de agosto de 2008

Válido até: quando/você/quiser

Por que “ficar” tem prazo de validade quando é tão bom? Ter alguém ao seu lado, assim sem um compromisso maior que a vontade de estar junto é tão tentador, tão libertador e tão gostoso! Não se preocupar com protocolos, procedimentos, pormenores e aproveitar os gostos e os beijos, dar asa aos desejos, é tão fascinante que até vicia. E que vício! No entanto, depois de um tempo o outro some sem razão aparente. Isso é um fenômeno incoerente e cada vez mais habitual. Ainda não encontrei uma teoria que o explicasse. Já fiz a loucura de achar que eu era a principal culpada, que não dava espaço suficiente e mais uma série de coisas. Superei isso. Não sou de ligar ou mandar mensagem. Perdi o hábito. Mas gostaria de dar continuidade a algum dos arroubos de paixão que passam em minha vida (deixá-lo naturalmente evoluir para algo maior...). Enquanto isso não acontece aproveito-me da irresponsabilidade alheia (e confesso que até sou um pouco irresponsável). Nessa de tentativa e erro, na hora certa hei de acertar – ou ser acertada.


(Grazielle Santos Silva)

5 comentários :

Thito disse...

Bom, eu queria dizer que estou muito emocionado com o selinho recebido. E que ele seja o primeiro de uma grande coleção filatélica.
(nessa hora começam os flashs)

=D

Jessica Lauton disse...

É simples e delicioso.
Adorei o post.
Abraço

Vinicius disse...

aeee obrigado por lembrar de mim rs...
vou colocar lá depois...

ahn e vou baixar o filme pra ver se é bom msm rs

Paulo D'Auria disse...

,,,Mas quem irá dizer que existe razão pras coisas feitas pelo coração. E quem irá dizer que não existe razão,,,

Beijos!

Ricarda Caiafa disse...

como sempre, texto maravilhoso...
minha amiga, tenho que escrever o texto para lhe enviar... jah até pensei no tema... beijos

Comente com o Facebook:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...